Viagem: As primeiras impressões sobre Brighton

No momento que estou escrevendo este texto,  faz uma semana que cheguei aqui na Inglaterra e ainda assim parece surreal! Não cheguei a contar por aqui, mas vou ficar por mês estudando inglês na terra da rainha. Se quiser saber um pouco mais, pode assistir o vídeo daí de baixo que eu explico melhor!

Pois então, a ideia de fazer esse relato foi pra eu conseguir expor tintin por tintin pra vocês a minha viagem e também, pra conseguir finalizar esse diário do jeito certo.

Ainda no Brasil, antes de embarcar, lá na minha casa, tive uma noite de sono péssima. Não dormi um sono longo, tirava pequenos cochilos somente. Meu coração e meu sistema nervoso não podiam acreditar que o dia realmente tinha chegado!

A caminho do aeroporto, minha cabeça ia dando um “até breve” pra todo aquele cenário que desde que eu nasci eu conheço. Meu coração já ia batendo mais forte, mal podendo esperar por todas as novidades que eu iria vivenciar. Um, dois, três. Respira fundo, não chora agora. Chorei. Tinha que chorar. Tinha chego a hora de dar um abraço na minha família. Um outro só iria vir daqui 30 dias…

Rio de janeiro. Paris. Londres. Cheguei. Cansada e igual um zumbi, mas cheguei. O inglês simplesmente fluiu. Não é assim tão difícil de entender o sotaque britânico! Entrei no quarto do hotel. Silêncio. Ninguém comigo, a tevê não fala português e a tomada é estranha. Não vou chorar… eu não… consigo aguentar. Como que eu fui me meter nessa loucura? Porque eu quero ficar longe da minha família? Eu vou dar uma volta, pra ver se eu melhoro.

Mais ou menos. Não a cidade, o meu humor. É tudo lindo e diferente. Eu preciso dormir. E foi o que eu fiz (de melhor). Outro choque cultural, que café da manhã é esse? Quem que come feijão pra começar o dia? Quero feijão e arroz de almoço! Mas não foi ruim! Tava tudo bem gostoso. Só que é hora de partir… Que aventura. Como que eu vou conseguir ir de ônibus com 3 malas e ainda caminhar mais uns 6-8 minutos pra chegar na escola? Tudo bem, encaremos mais essa aventura!

Não é por aqui… não é por ali…Onde que eu tô? Sobe escada, sobe lomba… cheguei. E temos alguém falando português… e uma brasileira que trabalha aqui. Trabalho é que não vou passar (amém). Quarto pequeno, mas aconchegante. Vamos dar uma volta? Tudo organizado, moderno e acessível.

Como que eu faço pra abrir a porta do quarto? Ufa, deu!  Porque a janta vai só até as 19h??? Tudo bem, vamos comer. Comida: okay! Vou tomar banho, dormir que amanhã quero ver mais da cidade.

Bom dia, quase boa tarde. Café da manhã? Pra que? Vamos passear. Dá uma checada no mapa pra não se perder e lá vamos nós! É tudo sensacional, só esse trânsito invertido onde eu ainda não aprendi como atravessar a rua que atrapalha.

Eu cheguei. To no lugar onde conheci através de um livro. O lugar que se tornou um dos meus destinos dos sonhos. É real! Here I am! Eu paro pra ver tudo em volta e é só magia o que eu enxergo! O sol do verão britânico deixou tudo ainda mais lindo. Eu vou voltar pra brincar nesse parque ainda!!!

Comi o tal do fish and chips… Não achei lá grande coisa, mas foi legal experimentar. Também comi um sorvete, que é bem gostoso por sinal, só que diferente dos que temos no Brasil. Vamos voltar para a residência, amanhã começam as minhas aulas.

Ou quase isso. Uma penca de gente na recepção da escola. De onde veio tanta gente? Aé, tem pessoas que escolheram morar com uma família… E já conheci duas dessas pessoas, ambas Katerina’s (quem imaginaria…). Uma ucraniana e outra da República Tcheca. Mesma idade, jeito semelhante de pensar. Muito queridas e simpáticas. Prova de nivelamento, voltas pela cidade e interação entre os alunos novos.

 

Resultado nos deixou fora uma da sala da outra, mas não nos deixou longe. No outro dia, continuamos conversando e contando sobre o primeiro dia de aula! Que foi ótimo! Meu professor, o Ben, faz várias atividades de conversação e é um cara bem legal! Nenhum Brasileiro na turma (Thanks God!).

A semana foi passando, as aulas se tornando ainda mais legal e BAM! Uma semana aqui já! Quanta coisa em tão pouco tempo! A Sabrina assustada de sexta-feira do dia primeiro é bem diferente depois de uma semana. Foi a melhor decisão da minha vida até agora. Foi e ainda está sendo a melhor experiência que minha mãe podia ter me proporcionado! Eu sou extremamente grata por estar onde estou agora e experimentando uma felicidade onde não se encontram palavras para defini-lá! Compartilhar isso com vocês, deixar registrado em videos, fotos e texto, faz com que fique ainda mais especial a “fabricação” das minhas memórias e lembranças.

Sexta que vem espero trazes o próximo texto, farei ao máximo que não venha aqui com atraso.

Vejo vocês aqui novamente? Digam que sim! hahahaha

Sabrina de Lima.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: