Vale a pena assistir: The fosters

Não sei se vocês já perceberam, mas o meu gênero favorito é drama. Se me perguntarem por que, acho que não saberia responder. Talvez pelos conflitos ou assuntos que geralmente são tratados. E a série que eu vim aqui falar pra vocês é sobre esse gênero que tanto gosto.

the-fosters

Com lançamento em 2013, The fosters conta com quatro temporadas e já foi renovada para uma 5ª. No Brasil, é série é transmitida pelo canal de TV por assinatura Sony e na netflix até agora estão disponíveis as duas primeiras temporadas.

A série conta a história do casal Lena, vice-diretora de uma escola a e Stef, uma policial, que estão juntas há 10 anos. Stef era casada com um colega de trabalho antes de conhecer Lena e esse antigo casamento com Mike, resultou em um filho para o casal, Brandon. As duas decidem, então, adotar outras duas crianças, os gêmeos Jesus e Marianna, que foram abandonados pela mãe viciada em drogas. Porém, Lena acaba cruzando com a vida de Callie, uma adolescente problemática recém-saída do reformatório sobre condicional, que só quer trazer seu irmão mais novo Jude para perto de si.

Só pela sinopse dá série já se percebe a quantidade de conflitos dentro da trama, né? Comecei a assistir a série no sábado passado logo depois de ter terminado as 8 temporadas de Full House e até agora já cheguei no episódio 13 da série. Digo pra vocês que se tivesse mais tempo, talvez já estivesse na 2ª temporada. Decidi vir aqui, antes mesmo de terminar todos os episódios, justamente pela ansiedade que estou de falar sobre a série. Pensei em só fazer um compilado de tweets, mas não seriam suficientes.

19_520934ddddf2b340538275b0

A série está bem longe de ser perfeita, mas a trama dela é muito bem escrita e a grande maioria das atuações não deixa a desejar. Cada episódio contem um evento envolvente que pode ou não ser resolvido dentro do capítulo. Os assuntos sociais presentes na série, como adoção, drogas e homossexualidade, são tratados de forma muito realista e com situações que possam ocorrer na vida de qualquer indivíduo.

Eu ainda não sei por qual caminho a série vai seguir, só espero que não passe de 6 temporadas, pois séries longas de mais me dão preguiça. Se continuar no ritmo que está a primeira temporada, com certeza as outras não deixam a desejar.

Quem gosta de drama com temática família e adolescência, com toda certeza vai curtir “The fosters”. Cada episódio tem cerca de 40 minutos, mas que passam bem rápido.

Juro que se caso a série me decepcionar, eu venho aqui e falo pra vocês. Só tem verdades aqui nesse bloguinho! Hahahaha

Sabrina de Lima.

Eu li: A mediadora – Lembrança (vol.7)

Que tempos que não vinha fazer resenha por aqui. Desde a última, já li vários outros livros e acabei não fazendo post por burrice mesmo… Porém, esse livro eu não podia deixar passar. Ele fez parte do final do meu Ensino Médio e depois de terminar a leitura, fiquei imaginando que incrível seria um seriado da série “A mediadora”, que pra quem não sabe, foi escrita pela Meg Cabot – mesma autora de “O diário da princesa -, e o primeiro livro da série foi publicado em 2000.Depois do 15º aniversário de lançamento do primeiro livro da série, foi oficialmente anunciado o lançamento lá nos Estados Unidos do livro de numero 7 que conta a história da mediadora Suzannah Simon.img_0026

Quem não leu ou nem conhece os livros, trata-se de uma adolescente de Nova York que acaba se mudando para a Califórnia por causa do novo casamento da mãe, que já era viúva a um bom tempo. Suze nunca seguiu nenhum padrão adolescente, até porque a menina via e falava com espíritos, ou pessoas mortas não-obedientes como ela mesmo costumava falar. Além disso, ela ajudava esses PMNO a resolver seus últimos assuntos aqui na terra para irem de vez para a luz. Só que, com a mudança, ela acaba encontrando um fantasma muito antigo em seu novo quarto, BEM não-obediente e com quem ela acaba tendo que conviver. Só que, mal sabia ela o que essa convivência iria desencadear em sua vida.

A série termina com um final bem redondo, sem ganchos para uma continuação. Mas como os fãs da série estavam com muita saudade, tanto de ” A mediadora” quanto de “O diário da princesa” (Que, by the way, é a proxima série que comecei a ler {isso mesmo, amo os filmes e nunca li os livros…}) que a autora resolveu atender os pedidos e reavivar as histórias.

Foi uma surpresa para mim, quando pesquisando sobre “O diário da princesa”, encontrei uma notícia em um blog que falava de um sétimo volume de “A mediadora”. Susto maior foi quando vi, ano passado, que já havia para vender aqui no Brasil! Acabou que eu pedi de natal e quando terminei de lei “The great Getsby” e “Bling Ring”, comecei a devorar “Lembrança”, o livro mais comprido da série.

A história começa seis anos depois do seu final, com Suze já formada, em seu primeiro emprego, não remunerado, na Academia da missão, sua antiga escola e noiva de Jesse De Silva, agora Dr. De Silva. Porém, nem tudo são flores e alguém do passado volta para atrapalhar a vida de Suzannah chantageando-a. Além disso, uma caloura da escola vem carregando um espírito do qual Suze precisa fazer com que vá dessa para uma melhor. A narrativa, então, se desenvolve com a mediadora tentado resolver tudo da melhor forma possível e de seu jeito.img_0029

O que eu posso dizer dessa leitura? Que foi ok. Faz bastante tempo que eu li todos os outros 6 livros e sempre quis voltar a ler, porém, nunca sentira REALMENTE aquela vontade. Só que o 7º volume me fez querer voltar atrás. O novo livro foi realmente pra matar a saudades, não pra ter uma continuidade. Lendo algumas resenhas no Skoob, muitos fãs não gostaram e criticaram.  Só que não acho que seja pra tanto… Eu gostei muito do rumo que a história tomou. Ela perdeu aquele tom adolescente e ganhou um quê mais adulto, coisa que a Meg mesmo falou que faria considerando a idade que tem agora os antigos fãs da série. O cenário continua o mesmo, assim como os personagens e suas personalidades. São 400 páginas pra resumirem 6 anos de história não contada. Lógico que algumas coisas seriam mais compridas e mais enroladas para se desenvolverem.

Se eu fosse classificar por aqui, daria 4 estrelas. Sinceramente sou contra mexer em histórias já finalizadas e que tiveram um bom final. Só que nesse caso não foi de todo ruim. Adorei reler e saber como anda Suze. Não vejo a hora de ler novamente os outros 6.

Será que ajudei na resenha? Eu acho que não! ahahahhaha

Beijos, Sabrina!

Filme: La la land – Cantando estações

Eu sei que a frequência de post do blog anda bem baixa, porém, eu ando com um bloqueio criativo e não consigo desenvolver nada! Tanto pro blog como pro canal… Mas falemos de coisa boa.

Quem assistiu o último pipoca na mão lá do canal (se não viu, clica aqui), sabe que eu já queria assistir o filme do título desse post. Finalmente eu fui hoje a tarde e preciso muito compartilhar aqui. Só que primeiro, a velha e boa lista de filmes:

XOXO- A vida é uma festa ✭✭

Sr. e Sra. Smitch ✭✭

Ela dança, eu danço 5 ✭✭

Big eyes ✭✭✭✭

Garotas sem rumo ✭✭

Meu amigo, o dragão ✭✭

Homem irracional ✭✭

O som ao redor ✭✭✭✭

Uma garota encantada ✭✭

A noviça rebelde ✭✭✭✭  ❤

Jogos vorazes ✭✭

Kill Bill ✭✭✭✭

Pulp fiction ✭✭✭✭

Cidade de Deus ✭✭✭✭

Frida ✭✭✭✭

Perfume de mulher ✭✭✭✭ 

Carol ✭✭✭✭

Funny Girl ✭✭✭✭ ❤

A garota dinamarquesa ✭✭✭✭

Enquanto somos jovens 

É fada ✭✭

Kill Bill vol. 2 ✭✭✭✭

Amor a toda prova ✭✭✭✭ ❤

Bonnie & Clyde ✭✭

The Rocky Horror Picture Show ✭✭

La La Land ✭✭✭✭ ❤

Chorei, ri, me senti abraçada e muitas vezes frustada. Isso é um pouquinho do que o filme me fez senti. Minhas expectativas já estavam grandes antes de entrar na sala de cinema e o filme não decepcionou.

Pra quem não tem uma ideia sobre o que se trata vou fazer um resumo. O filme conta a história de um pianista de jazz interpretado pelo Ryan Gosling e uma atriz iniciante vivida pela Emma Stone. Diferente do que eu falei no vídeo abaixo, o filme não é ambientado em outra época, se passa nos tempos atuais. Só que durante todo o filme a gente tem essa sensação pois na verdade, o musical é uma homenagem aos filmes antigos de Hollywood. Com os dois começando a seguir os seus sonhos, juntos eles acham forças e apoio um no outro para ir atrás do que desejam.

Vamos começar pelo antes de eu assistir. O filme já me ganhou por ser um musical E ter a Emma Stone no elenco. Quando eu assisti o trailer percebi que seria um filme lindo. Só não imaginei que seria TANTO e que seria tão amado. Batendo o recorde de ganho no Globo de Ouro, levando 7 prêmios,o filme dirigido pelo Damien Chazelle é de uma beleza maravilhosa.

og

Eu não sei muito bem o que dizer pra vocês sobre as duas horas que eu passei no cinema olhando esse filme. Pareceu bem menos de tanto que o filme me envolveu. Os diálogos são muito bem posicionados e inteligentes por conta de um roteiro muito bem escrito. As músicas cantadas pelos atores, que são todas originais, casam lindamente bem com as cenas e os cenários. Não consigo acreditar que quem não goste de musical vá gostar… Pois a mesma coisa que acontece em outros acontece nesse, os atores começam a canta em meio ao filme!

Talvez a minha opinião não seja tão válida assim pois eu sou incrivelmente apaixonada por Brodway e musicais. Eu senti uma magia incrível e percebi que os poucos dentro da sala sentiram o mesmo. Não houve quem mexesse no celular ou conversasse.

É tão engraçado pois eu vim pra casa achando que conseguiria descrever tanta coisa mas parece que eu não consigo. Talvez isso aconteça agora por o filme ter mexido tanto comigo. Eu me identifiquei com ele como a tempos não me identificava.

movie

Ele vale muito a pena o valor do ingresso ainda mais se você curte filmes de beleza sutil porém muito impactante. Além de um roteiro sem tanto clichês e com uma história que não demora pra se desenvolver.

La la land entrou pra lista dos meus filmes preferidos e sei que ainda vai ficar por muito tempo sendo falado. Ele trouxe uma diferente forma de encarar o cinema em Hollywood e acredito que aos poucos vamos ver cada vez mais esse tipo de produção.

Talvez eu tenha mais enrolado do que realmente falado né? Mas não quis dar nenhum spoiler e é bem difícil não fazer isso.

Espero que tenham gostado e assim que possível pretendo ir assistir “Manchester by the sea” e venho aqui contar pra vocês.

Beijos, Sabrina.

Obrigada por nada!…

Será?

2016

Chegamos ao último dia do ano. Suspirei bem fundo e me deu um gelo no peito quando vi que só faltava dia 31/12 pra completar 2016. O ano não foi dos melhores. Eu tinha metas e planos grandes, muitos deles se perderam no caminho. Mas tudo bem vai… Afinal de contas, houveram sim coisas que se valeram. Saí pela primeira vez do país, sozinha e sem conhecer ninguém. Que crescimento. Que sonho realizado e que gostinho de quero mais. Proporcionei a mim mesma pequenas alegrias. Encerrei certas coisa que já tinham que ter sido encerradas a um bom tempo (mas acho que só agora criei coragem). Tomei uma decisão- ou o tempo se encarregou de tal coisa-, que vai fazer de 2017 um ano inexplicável e marcante.

Todos os anos eu faço esse tipo de texto e esse ano quando pensei em fazer, a primeira frase que me veio foi “obrigada por nada”. Só que não é verdade. Cumpri 20% da minha lista de metas. Dois objetivos bem simples (mas trabalhosos) não foram aplicados. Um desejo meu bem forte não foi realizado. Portanto, não foi um bom ano. E ta tudo bem. Há males que vem pro bem. Talvez se tudo tivesse dado certo, nada agora estaria tão claro, talvez tivesse ficado ainda mais escuro.

Também seria egoísmo da minha parte achar que só eu tive um ano meio b*sta, levando em consideração todas as turbulências que esse mundão ganhou no famigerado 2016! Porque com a minha vida ficou tudo bem mesmo que não tenha sido como eu queria. Continuo muito bem de saúde, tendo onde morar e como viver. Não perdi nenhum amigo ou familiar vítima de violência ou acidente. Não precisei viver em meio de guerra e fugir pra sobreviver… De resto, meus amigos, no ano que vem a gente dá um jeito.

Se teu ano não foi dos melhores, sacode essa poeira aí e te conforta. Ano que vem é ano de número um. Aquele que literalmente é o de começar! Recomeçar.

Boa sorte e um próspero 2017!

Sabrina de Lima.

Filmes -Vamos falar de: Esquadrão Suicída

Muito bem minha gente. Faz já um tempo que não trago aqui os filmes que eu andei assistindo, porém, a necessidade de escrever sobre o filme do título do post foi grande. Mas vamos focar agora primeiro na listinha de filmes, junto com alguns pequenos comentários.

Into the woods (Caminhos da floresta) ✭✭

Na natureza selvagem ✭✭✭✭ ❤

De repente pai ✭✭

Dizem por aí ✭✭

Uma lição de amor ✭✭✭✭ ❤

Cinderela (2015) ✭✭

Três vezes amor ✭✭

Maze Runner: Prova de fogo ✭✭✭✭

Joy – O nome do sucesso ✭✭

Os caça-fantasma ✭✭

Ele não está tão afim de você ✭✭

O Regresso ✭✭✭✭

Então vamos falar desse filme maravilhoso que deu o Oscar pro DiCaprio (finalmente). Eu sei que já faz tempo, mas acho que ainda vale a pena o comentário. Tive a satisfação de assistir no cinema e me sentir desconfortável com todo aquele sangue na tela hahahah. Esse foi o motivo de não ter dado 5 estrelas pro filme. Vamos falar do que interessa. Uma fotografia linda, com uma atuação do tio Leo impecável. O filme é longo mas não vi o tempo passar. Quem ainda não assistiu, por favor assista. Só despese se você não se sente bem com tripas de animais e muito sangue hahahaha.

A escolha perfeita 2 ✭✭

Homem formiga ✭✭

Xingu 

We are your friends ✭✭✭✭

Cidades de papel ✭✭

Que horas ela volta? ✭✭✭✭

Brazil ✭✭

Um senhor estagiário ✭✭✭✭ ❤

Mentes perigosas ✭✭

O quarto de Jack ✭✭✭✭✭

Spotlight: Segredos revelados ✭✭✭✭

Entre abelhas ✭✭

Esquadrão Suicida ✭✭

Chegamos no meu dodói do mês. Se você ainda não assistiu o filme mas ainda quer, por favor não leia esse comentário. Acho que quando a gente lê sobre um filme que está sendo muito comentado, acabamos nos influenciando e não vamos olhar o filme com a mente aberta.

Quando saiu o primeiro trailer do filme eu fiquei: “AI MEU DEUS! QUERO ASSISTIR JÁ”. Só que, apesar de o peixe ter sido muito bem vendido, ele não tava tão bom assim. Muita propaganda se fez em torno do filme. Quem assistiu pelo menos o primeiro sabe do que eu to falando. As cenas encaixando certinho com a musica, cenas incríveis de ação… Porém, se a DC tivesse feito um filme só com a Arlequina o sucesso teria sido maior.

Vamos começar falando do roteiro. Fraco e com muitas falhas. É notável que existem algumas cenas desnecessárias e bagunçadas. Sem contar que eu acho que o roteirista estava com a criatividade muito aguçada e acabou por colocar muita coisa em “pouco tempo”, fazendo assim o filme possuir algumas partes meio “que?”. Eu me diverti assistindo, alguns dos diálogos estavam muito bons e fazia toda a sala do cinema dar risada. Só que quando faltavam essas conversas, minha cabeça voava pra outro lugar.

Outra coisa que ficou um pouco chata foi a importância meio nula do Coringa (que já foi muito falada). Parecia que ele ia ser um dos grandes quando na verdade não. Quem foi o principal do esquadrão, junto com a menina Arlequina, foi o personagem do Will Smith (com uma atuação nesse filme muito boa!), o Pistoleiro. Além do mais, algumas cenas boas colocadas nos trailers foram cortadas. Repito, o roteirista tem uma grande responsabilidade por cima do sucesso do filme.

Que dupla!

Tá, mas vamos falar do que me agradou: Arlequina e trilha sonora. Eu sou fã da Marvel, acho que eu já deixei isso bem exposto hahahaha. Mas nunca desprezei a DC. Só que o que eu conhecia de personagens sempre foram os mesmos, Batman, Superman e Coringa. Eu até posso saber alguns outros mas não sei mais a fundo sobre as histórias. Então, foi muito bom assistir o filme e entender quem é a Arlequina e porque todo o fascínio com ela. A personagem é muito divertida e segurou o filme maravilhosamente bem. A atriz, Margot Robbie é linda e ficou incrível representando a vilã. E por fim, a trilha sonora! Eu adorei! As musicas são mais antigas e casaram muito bem com as cenas. Algumas criticas disseram que algumas não foram bem encaixadas mas eu descordo! O que mais me deixou satisfeita na produção foi a trilha.

Ufa! Falei! Espero não receber “ovadas” por conta da crítica. Vocês sabem que não sou a melhor intendedora porém eu me esforço pra manter um ponto de vista meu com um olhar técnico! hahaha. Espero que tenham gostado do post!

Beijo e até uma próxima! Sabrina!